Welcome



INICIO
EDITORAS PARCEIRAS
BLOGS PARCEIROS
BOOKLIST
LINK-ME
SELINHOS
CONTATO

28 setembro 2014

Caixinha de Correios #53

 

Olá meus amores.
Confere aí a nova Caixinha de Correios.
Me desculpem pela ausência, mas semana de prova é complicado. E o pior... ainda nem terminou. Semana que vem tem mais prova. :(

 Maluca Por Você - Lovett, Texas - Livro 02 - Rachel Gibson



 Meu - Real - Livro 02 - Katy Evans




 Obstinada - Georgian - Livro 01 - Sylvia Day




 Incontrolável - Historical - Livro 02 - Sylvia Day




 Encontrada - Perdida - Livro 2 - Carina Rissi




Todos Juntos:




24 setembro 2014

Resenha #167 - Eu Te Vejo - Trilogia dei sensi - Livro 01 - Irene Cao

 

 

Sinopse:

“ Apesar de apaixonada pela arte e pelas cores de Veneza, cidade onde vive, a jovem restauradora Elena Volpe tem seu coração como uma tela em branco, pois nunca viveu uma grande paixão. Com 29 anos, a protagonista de Eu te vejo tem a sua vida transformada com a chegada de Leonardo Ferrante, um famoso chef de cozinha e o mais novo inquilino do palácio onde trabalha na restauração de um afresco. O encontro com Leonardo abala suas certezas, abrindo as portas de um paraíso inexplorado. O chef sabe que o prazer é uma conquista para todos os sentidos – tem uma forma, um odor, um sabor – e guiará Elena até os limites mais doces e extremos do sexo, mas sob uma condição: nunca deverá se apaixonar por ele. A jovem aceita a proposta e deixa-se seduzir por este homem de passado misterioso, que parece fugir de seu desejo de prendê-lo a ela para sempre. Em Eu te vejo, Irene Cao revela uma trama de escrita suave, como o pincelar cuidadoso de uma restauração, e saborosa, como a gastronomia italiana. Tendo como cenário a exuberante cidade de Veneza, o primeiro volume da primeira trilogia erótica italiana traz todos os sentidos envolvidos na paixão entre Elena, uma mulher que não conhece o amor, e Leonardo, um homem que só conheceu o lado mais obscuro desse sentimento. ”

Resenha

“Eu te Vejo” é uma história que tem como “pano de fundo”, a Cidade dos Canais – Veneza.
Elena tem 29 anos, vegetariana, abstêmia com baixa auto-estima, trabalha como restauradora de Afrescos, quase simplória, no viver, no vestir, no relaciona-se.
Enfim uma pessoa bonita, “bona gente”, que após a faculdade, teve alguns namorados sem importância, cultivou poucas amizades. Faz o seu trabalho, como se a vida se resumisse em trabalhar, ir pra casa, às vezes sair com sua melhor amiga Gaya, as vezes um tour pela cidade.
Tem “alguma coisa”, com o “amigo” de faculdade, Filippo, que nem eles sabem definir.
Logo Filippo precisa voltar para Roma por causa do trabalho e os dois passam a se falar por telefone, e aquela “alguma coisa”, fica em banho-maria.

O palácio onde Elena restaura uma tela enorme recebe um inquilino de nome Leonardo.
É o grande chef, que vem inaugurar mais um dos muitos restaurantes do Conde Jacopo Brandolini, que também é dono do palácio.
Leonardo Ferranti é o tipo de homem lindo, mas sem atitudes cavalheirescas, sem meias palavras, sem amarras e com um passado que ninguém conhece e ele também não quer falar.
Quando os dois trocam olhares, Elena sente algo como ameaça, liberdade, impacto de naturezas.
Leonardo por sua vez, não fica imune aos encantos de Elena, mas disfarça muito bem.


Quero ser forte, racional, tenho quase trinta anos e quero organizar minha vida, me concentrar nas coisas das quais eu gosto, encontrar meu lugar no mundo. (...). Eu era a mulher que ele queria. Agora tenho que voltar a ser eu mesma, uma Elena que pertence somente a Elena. ”

Ao se encontrarem um dia e Leonardo percebe o quanto Elena é travada sobre si mesma. Não gosta do que vê no espelho.
Ele lhe faz uma proposta de transformá-la em outra mulher, isso se ela quiser.
Mas sem nenhum envolvimento amoroso, somente curtir sem se envolver.
Os encontros entre os dois são tórridos e aos poucos Elena vai se soltando, pela força do magnetismo e o poder de persuasão de Leonardo.
Como Elena conviverá com Leonardo sem poder lhe dizer que o ama? Pois ele tem aversão a compromisso... ainda tem Filippo que pode ou não retornar.
Só vai descobrir o desfecho quem ler. :p

É um romance erótico que prende, com uma bela história.
A autora descreve tão bem a cidade onde os amantes se encontram que quem não conhece Veneza, pode até dizer que já “esteve” lá.
Recomendo!
 

Título: Eu Te Vejo - Livro 01
Autor(a): Irene Cao
Editora: Suma das Letras
Número de Páginas: 208


15 setembro 2014

Resenha #166 - A Namorada Do Meu Amigo - Graciela Mayrink

 

 
 
Sinopse:

“ Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você? Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar... Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada! ”

Resenha

" Os momento de decisão são importantes em nossa vida, mas nem sempre significam algo bom ou fácil."

Cadu, Caveira e Beto são conhecidos como os “Os 3 Mosqueteiros” na cidade de Rio de Pitangas, em Belo Horizonte. É aquele tipo de amigos que se tornam inseparáveis. Sempre andam juntos pra todo lado.
Sua vizinha Juliana (Juju) para ele era uma garota insuportável, pois ficava direto no seu pé, e dizia pra todo mundo que quando crescessem iriam se casar. E enchia a paciência dos 3 amigos, pois queria ser o D'Artagnan (que na história real é como se fosse o 4 Mosqueteiro), coisa que nunca fui aceita por eles.
Quando Cadu soube que sua vizinha indesejável iria se mudar para longe, foi um grande alivio.
Alguns anos se passaram e Cadu voltou para sua cidade, depois de suas férias de 3 meses em Florianópolis (onde sua mãe mora), não imaginava que tudo havia mudado. Inclusive as pessoas que ele conhecia tão bem.
Ele não sabia que teria uma baita surpresa quando encontrasse um de seus melhores amigos, Beto. E quando encontrasse a namorada dele.

Cadu é o tipo de garoto que toda garota quer namorar. É lindo, divertido, simpático, amoroso, carinhoso.
Não tinha ideia de que se apaixonaria a primeira vista pela sua antiga vizinha magricela e que essa mesma menina seria a atual namorada de seu melhor amigo Beto.
Juliana se tornou uma mulher linda, meio tímida, de sorriso encantador, simpática e meiga, fazendo com que Cadu tivesse certos pensamentos totalmente errados com a namorada de seu melhor amigo. Mas quanto mais ele queria esquecê-la, mais gostava dela. Era inevitável.
Mas a amizade dos “3 Mosqueteiros” sempre seria mais forte e estaria em primeiro lugar, mesmo que isso o fizesse “desistir” de Juliana. Talvez sim, talvez não.
Além de ter esse probleminha, a irmã de Beto, Alice que não tinha papas na língua, é determinada naquilo que quer, e que todo mundo sabe que ela é apaixonada por Cadu (menos o irmão dela), não perderia a chance de finalmente conseguir ficar com ele. Seria mais um problema a ser resolvido, tirando a ex, casos com outras garotas que sempre resolviam aparecer nas horas mais erradas, e o pacto que Caveira e ele fizeram com Beto, de jamais ter nenhum relacionamento com suas irmãs.
O que Cadu poderia fazer para reverter essa tremenda enrascada? Só lendo pra saber. :)

A autora transmitiu para o leitor a força que tem uma verdadeira amizade. A importância de cada um na vida do outro, os conselhos, os erros que cada um comete, é levado sempre em consideração pela amizade.
Adoro quando a autora não deixa de lado os outros personagens que ficam ao redor do protagonista, tem suas participações e deixa a história muito divertida.
Caveira é uma figura, ri demais das conversas e seu jeito brincalhão, Beto é completamente superprotetor com suas duas irmãs, Alice e Emilia. Meio que as sufoca, mas não deixa de ser engraçado.
Alice é bem louquinha, e é decidida quando tudo está relacionado ao Cadu, e não se importa com a loucura de seu irmão sufocante Beto.
A leitura é tão boa, que você se vê torcendo pelos outros personagens que vão aparecendo ao decorrer da história. Que se tornam tão importantes quanto os principais.

"É claro que eu iria querer ser amigo dela, mesmo que só isso. Não hesitaria nem um instante para ter Juliana ao meu lado."

 "A Namorada do Meu Amigo" na minha conclusão como leitora, foi uma leitura bem gostosa e rápida.
Um ponto a favor da autora, é que a história é contada pela perspectiva de Cadu, uma autora escrevendo um livro tendo que ter os pensamentos de um menino em conflito com seus sentimentos X amizade. Realmente isso foi uma das coisas que mais gostei.
Ri muito, me diverti e torci muito pelo Cadu. Mas o que achei que ficou faltando, foi um final melhor. E vou explicar por que.
A história tinha tudo pra ser ótima, mas achei bem corrido do meio pro final, eu gostei do final entende?  Pois foi totalmente inesperado. Mas não foi realmente o final que eu estava imaginando.
Eu entendi a forma que autora quis terminar o livro, entendi e até gostei, mas poderia ter sido bem melhor.
Infelizmente o final acabou um pouco com a história em si. A leitura flui rápido, porque você quer ficar por dentro dos acontecimentos e quando vê já está bem pertinho de terminar. Como foi o meu caso.
Cada leitor teu o seu gosto diferenciado. Pois ouvi muitas opiniões negativas sobre esse livro, e outras positivas. Mas é isso mesmo, alguns leitores gostam e outros não gostam. Fato!
Em minha opinião eu gostei bastante, mas só fiquei um pouco desapontada com o final, mas fora isso eu recomendo a leitura. Leiam e tirem suas próprias conclusões.



Título: A Namorada Do Meu Amigo
Autor(a): Graciela Mayrink
Editora: Novas Páginas
Número de Páginas: 336


14 setembro 2014

Caixinha de Correios #52

 

Olá meus amores.
Vamos conferir mais uma Caixinha de Correios?


COMPRAS

 
 Tudo Por Nós Dois - Bad Boys - Livro 03 - M. Leighton


 
O Pedido - Proposta - Livro 02 - Katie Ashley


 PARCERIA - EDITORA ARQUEIRO

 
 Os Segredos de Colin Bridgerton - Familia Bridgerton - Livro 04 - Julia Quinn


 
 Bem-Casados - Quarteto de Noivas - Livro 03 - Nora Roberts


 TODOS JUNTOS:
 


08 setembro 2014

Resenha #165 - De Repente, Ana - Simplesmente Ana - Livro 2 - Marina Carvalho

 



Sinopse:

Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste. Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação. Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama. Muita gente está interessada no seu fracasso. ”

Resenha

"Afundei no banco de couro, ciente até demais de que a vida não avisa a hora em que vai dar uma bela rasteira na gente." 

Marina Carvalho está de parabéns pelo tema abordado, (porque, diga-se de passagem, o tema “realeza” nunca fica batido) e pelos por menos citados com muita propriedade, quando afirma que ser princesa, não é só conto de fada!
O conto de fada fica pelo parentesco, castelos, carruagens, mas o dia a dia de uma princesa é cheio de proibições, comportamento padrão, tudo previamente aprovado, um controle total.

No primeiro livro Simplesmente Ana, retrata a Ana até então plebéia, mas quando se descobre filha do rei Andrej Markov aí o caso muda de figura.
De Repente, Ana (segundo livro) Ana está de férias no Brasil, seu país de nascimento, com o seu amor Alexander, quando uma noticia bombástica tira o chão de seus pés.

Seu pai, o Rei de Krósvia sofreu um acidente e se encontra em estado grave.
Apesar dos poucos anos que Ana conviveu com seu pai, uma camaradagem e um amor muito grande se estabeleceu entre pai e filha.
Daí a necessidade urgente de retornar a Krósvia.
Além do desespero pelo estado do pai, o país está acéfalo e o primeiro ministro, coloca no “colo” da Ana, uma pasta com documentos sobre Krósvia para que ela leia, assimile, porque ela irá “assumir” o governo do país, até o rei se restabelecer ou não.
Ana não sabe como se conduzir. E agora?


" Como que para deixar claro para todos ao redor o tipo de relação que tínhamos, puxou-me para um beijo intenso, desses que fazem os dedos dos pés se dobrarem de alegria."


Tinha muita gente do seu lado, Alex, seu namorado e também enteado do Rei, que iria auxiliá-la no que ela precisasse.
Tomando pose em substituição ao pai, acabaram-se os passeios, conhecer novos lugares, namorar então, quando que ia ser? O dia todo era com agenda lotada.
À noite, a princesa/rainha, simplesmente desmaiava no leito real. E aí? Cadê o conto de fadas?
Alguns partidos não estavam satisfeitos com a “postura e desempenho” da princesa.
Tirando toda essa dor de cabeça de trabalho e partidos que não ajudavam em nada, ainda tinha que suportar Laica. Que se colocava entre seu namoro com Alex.
Ciúmes de Alex com o secretário de Ana, seu pai que não saia do estado grave, Ana se vê quebrando o protocolo e por causa disso sofre as consequências de seus atos.
Uma história muito bem escrita e por ter lido os dois livros recomendo!


" Por mais semelhante que minha vida fosse aos contos de fadas tradicionais, eu duvidava muito que meu final se daria como nas histórias de princesas: eu, resgatada no último minuto por meu príncipe encantado."

Título: De Repente, Ana
Autor(a): Marina Carvalho
Editora: Novas Páginas
Número de Páginas: 320